segunda-feira, 12 de julho de 2010

sobre o vazio e o gato de botas

Era sábado e eu estava triste.
Não mais triste que nos outros dias, mas triste o bastante pra me incomodar com aquela melancolia amarga. Vontade de nada, cansaço, desesperança. Um bocado de falta.
No intervalo do trabalho eu saí, fui ao macdonalds, comprei o maclanchefeliz e ganhei um gato de botas. Vc coloca a capa nele e ele fala uma frase. Quando a capa é retirada, ele diz outra frase. Fui invadido por um contentamento. Eu sorri. E então gargalhei. Tive um resto de noite agradável.

Ok, vamos lá.
O que eu fui fazer no macdonalds?
Será que eu fui comprar um lanche pra saciar minha fome?
Será que o macdonalds existe pra saciar a fome das pessoas?
Não acho
Eu fui pra lá buscando outra coisa. Estava em busca de amparo. De algo que me fizesse não pensar no absurdo que é estar vivo e inserido no esquema da sociedade. Estava desesperado por algum alívio, mesmo que fugaz. E foi isso que eu encontrei, pela bagatela de doze reais.

Posso parecer exagerado, mas garanto que não. Veja só: nós nascemos e crescemos e nesse percurso vamos acumulando diversas frustrações. As frustrações servem de aprendizado. Mas pra quê? Pra quê, se vamos morrer. Morte, quer dizer que no fim todos vamos tomar no cu. E não tem céu, Deus não vai salvar ninguém. Morreu e acabou. Milhões se agarram na idéia de que haverá um paraíso para o seu grupinho, mas isso é besteira, invenção pra justificar o fato de que nós nascemos para morrer. O ser humano nasceu para morrer. Nossa vida culmina no nada. É pra isso que vivemos. Para o nada.

Se a vida fosse repleta de delícias e realizações, cheia de alegria e gozo, bem, ótimo, seria legal se divertir pra depois dizer adeus a tudo. Mas há o sofrimento. E não é pouco. Além do sofrimento cotidiano proporcionado pelo trabalho, pela rotina, pelos amores fracassados, há a dor mais profunda e séria, aquela angústia que sentimos ao nos darmos conta de que a vida não tem objetivo algum. Dá desespero. Dá medo. Não é coisa pra criança, é um troço sério.

É o conhecido sofrimento pela falta de sentido.
E quando a lucidez entra em cena, e vc se toca que não há um Deus que recompensará todos os seus esforços e todos os sofrimentos terrenos, começa o pior, que é a falta de sentido do sofrimento. Não há nada que justifique o sofrimento. Viver é sofrer, e no fim vc morre, e não há recompensa. Simplesmente acaba.

Não há dia ou noite em que eu não pense nisso.
As vezes a tristeza é grande demais.
E então eu vou ao shopping, um lugar feito exclusivamente para fazer com que as pessoas não pensem na falta de sentido da vida. Ou eu vejo tv, que serve pra distrair, fazer pensar menos na falta de sentido do sofrimento. Essas coisas botam uma certa ordem provisória no mundo. De forma precária, mas funciona bem.

E quando dói demais e eu sinto que vou chorar, vou ao mac pra comprar um lanche e ganhar um brinquedo. E finjo que a dor não está dilaçerando o meu coração carcomido.

4 comentários:

Ana disse...

Realmente... há muita dor para quem um dia irá morrer! :(

-Rol disse...

Eu moro ao lado de um McDonalds.
Eu entendo o seu ponto de vista. Comida fácil e rápida. Bem no caminho de volta do trampo pra casa. Confesso que queria um Pinóquio, mas a Monstra ia destruir de qualquer maneira.
Eu nao sou a melhor pessoa do mundo no momento pra mandar mensagens de "tudo vai ficar bem" devido a minha situaçao miserável, mas mesmo assim, relaxa. Não se sinta mal em se entreter com um brinquedinho e uma refeicao por 12 reais. Isso é o que eu chamo de 'se divertir com pouco'. Eu faço isso direto.

-Rol disse...

Ah, segundo capítulo da saga dentista já tá lá.

Will *Jesus one way* disse...

Quem poderá conter as tuas palavras? Pode o homem mortal saber das coisas futuras ou mesmo das coisas sobrenaturais? Quem criou o céu, o mar, a Terra e tudo que nele há? Se você acredita que foi o "nada", então posso acreditar que você é um nada, se o homem acredita que foi uma explosão e evoluiu do macaco, posso crer que essa pessoa é um mero macaco fazendo macacadas. Creio que existe algo que vai além de qualquer pensamento humano. O ressentimento destrói o louco, vi sábios professores, doutores que se afundam em suas próprias leis tentando explicar a sua existencia sem Deus, sabe o que aconteceu? Suas vidas simplesmente foram esmagadas pela depressão, angústia, podridão, estão famintos de não sabem o que. Isso é real eu vi realmente pessoas assim, e sabe de uma coisa conselhos eu dei, mas seus ouvidos estavam mais tapados que sua própria sepultura.