sexta-feira, 26 de junho de 2009

sobre michael jackson




Ontem eu fui pra padaria comprar pão, e enquanto esperava na fila, vi a Fátima Bernardes na tv anunciando a morte de Michael Jackson. Puxa, fazia tanto tempo que eu não ouvia notícias sobre o cara, que na hora eu nem me importei muito. Embora ele tenha sido o cara mais cool na época em que eu era criança, de alguma forma a morte dele não me deixou assim tão comovido.

Hoje à tarde, após ver alguns dos videoclipes antigos no multishow, me lembrei de como o cara era foda. Tentei postar algum vídeo dele aqui, mas nenhum permite incorporações, enfim, o ponto é que não surgiu ninguém tão ninja na coreografia quanto Michael Jackson. Quando eu era criança a molecada ficava tentando imitar ele, principalmente quando o sbt passava o Moonwalker na sessão das dez, e era um tal de tentar andar pra trás, segurar o saco e dar gritinhos, e fingir que dançava feito robô. Época legal aquela.

Então a pergunta é: porque a morte desse cara foi um troço tão irrelevante pra mim?
E a resposta é obvia: Michael Jackson já estava morto, faz tempo.
Michael Jackson começou a morrer quando foi se tornando branco. Nada contra ser branco, mas acho meio exagerado alguém mudar a cor da pele através de cirurgias. E tem todo esse lance de curtir transar com crianças, que é um negócio até relativamente comum de se ver hoje em dia, mas que é um dos tabus mais fortes da nossa sociedade. E por fim já faz quanto, uns 15 ou 20 anos que o cara não lança mais uma música de sucesso? Se fosse algo programado, tipo uma aposentadoria, beleza. Acontece que não. Michael Jackson simplesmente morreu, e aquele outro ser problemático ficou no seu lugar.

Espero que algum bom jornalista/escritor se encarregue de sua biografia, pois gostaria de saber mais sobre o Michael, o astro pop número 1 do mundo.

Mas repito:
Michael Jackson já morreu à muito tempo atrás.

Um comentário:

Carlota disse...

Oi, William. Bom, a respeito do Michael, cada um tem uma postura diferente, todas com sua carga de verdade. Também escrevi sobre ele num post de hoje, mas preferi manter aquela postura romântica acerca do caso. Abraços para você, adorei o seu blog, cheio de um conteúdo generoso. Estará na minha lista de frequência. Abraços.